quinta-feira, 10 de maio de 2012

O que é para sempre não pode ser feito de qualquer jeito - Parte 1


O que é para sempre não pode ser feito de qualquer jeito.
Poderia escrever muito exemplificando este enunciado porém vou citar o principio de tudo:


Gênesis:
1.1   No princípio, criou Deus os céus e a terra.

1.2   A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas.

1.3   Disse Deus: Haja luz; e houve luz.

1.4   E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas.

1.5   Chamou Deus à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia.

1.6   E disse Deus: Haja firmamento no meio das águas e separação entre águas e águas.

1.7   Fez, pois, Deus o firmamento e separação entre as águas debaixo do firmamento e as águas sobre o firmamento. E assim se fez.

1.8   E chamou Deus ao firmamento Céus. Houve tarde e manhã, o segundo dia.

1.9   Disse também Deus: Ajuntem-se as águas debaixo dos céus num só lugar, e apareça a porção seca. E assim se fez.

1.10   À porção seca chamou Deus Terra e ao ajuntamento das águas, Mares. E viu Deus que isso era bom.

1.11   E disse: Produza a terra relva, ervas que dêem semente e árvores frutíferas que dêem fruto segundo a sua espécie, cuja semente esteja nele, sobre a terra. E assim se fez.

1.12   A terra, pois, produziu relva, ervas que davam semente segundo a sua espécie e árvores que davam fruto, cuja semente estava nele, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.

1.13   Houve tarde e manhã, o terceiro dia.

1.14   Disse também Deus: Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais, para estações, para dias e anos.

1.15   E sejam para luzeiros no firmamento dos céus, para alumiar a terra. E assim se fez.

1.16   Fez Deus os dois grandes luzeiros: o maior para governar o dia, e o menor para governar a noite; e fez também as estrelas.

1.17   E os colocou no firmamento dos céus para alumiarem a terra,

1.18   para governarem o dia e a noite e fazerem separação entre a luz e as trevas. E viu Deus que isso era bom.

1.19   Houve tarde e manhã, o quarto dia.

1.20   Disse também Deus: Povoem-se as águas de enxames de seres viventes; e voem as aves sobre a terra, sob o firmamento dos céus.

1.21   Criou, pois, Deus os grandes animais marinhos e todos os seres viventes que rastejam, os quais povoavam as águas, segundo as suas espécies; e todas as aves, segundo as suas espécies. E viu Deus que isso era bom.

1.22   E Deus os abençoou, dizendo: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei as águas dos mares; e, na terra, se multipliquem as aves.

1.23   Houve tarde e manhã, o quinto dia.

1.24   Disse também Deus: Produza a terra seres viventes, conforme a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selváticos, segundo a sua espécie. E assim se fez.

1.25   E fez Deus os animais selváticos, segundo a sua espécie, e os animais domésticos, conforme a sua espécie, e todos os répteis da terra, conforme a sua espécie. E viu Deus que isso era bom.

1.26   Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.

1.27   Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.

1.28   E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.

1.29   E disse Deus ainda: Eis que vos tenho dado todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente; isso vos será para mantimento.

1.30   E a todos os animais da terra, e a todas as aves dos céus, e a todos os répteis da terra, em que há fôlego de vida, toda erva verde lhes será para mantimento. E assim se fez.

1.31   Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia.

2.1   Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército.

2.2   E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito.

2.3   E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.

2.4   Esta é a gênese dos céus e da terra quando foram criados, quando o SENHOR Deus os criou.

2.5   Não havia ainda nenhuma planta do campo na terra, pois ainda nenhuma erva do campo havia brotado; porque o SENHOR Deus não fizera chover sobre a terra, e também não havia homem para lavrar o solo.

2.6   Mas uma neblina subia da terra e regava toda a superfície do solo.

2.7   Então, formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente.



Qualquer pessoa de bom senso sabe que as coisa que zelamos precisam de planos; dedicação;esmero e muito trabalho para sua realização.

Desde os primórdios da criação foi assim; Deus nos criou para sermos lindos - cada um com sua beleza - cada um com seus dons; porém não nos fez de qualquer jeito como mostra as escrituras logo no começo de gênesis.

Quando fui casar, não fui de qualquer jeito, tive esmero em toda a preparação meu principal motivo era agradar o noivo.

Quando vou a igreja procuro ir com o coração arrumado para não ser inútil diante Dele.

Quando conversamos o nosso diálogo não é unilateral porque Deus me ouve e sempre me responde " mesmo que as vezes eu não queira escutar".

Por estes dias que estou afastada do meu habitat , na correria diária fico observando como as pessoas fazem tudo de qualquer jeito . 
"Fazem"  "refazem" suas vidas de qualquer jeito, constroem suas relações de qualquer jeito, vivem de qualquer jeito...; certamente nem de qualquer jeito vêem a glória de Deus.



Reflexão:
"O que é para sempre não pode ser feito de qualquer jeito".



Paz e boa semana.

6 comentários:

  1. É verdade!
    Hoje em dia, pelas facilidades do mundo as pessoas fazem as coisas sem esmero e depois que não dá certo, trocam tudo...e acabam vivendo uma vida sem profundidade, sem laços verdadeiros numa superficialidade que as leva a milhões de tentativas.
    As pessoas não tem mais paciência pra esperar o momento certo, ou a pessoa certa...embarcam na primeira oportunidade que aparece a qual nem sempre é a certa.

    Adorei a reflexão bella!
    bjs, paz e bom fina de semana!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Bella! Concordo, amiga. Hoje as coisas são descartáveis, vai-se tocando de qualquer jeito para não se perder tempo. No final não sei o que querem fazer com tanto tempo ocioso! Ninguém tem prazer em fazer as coisas com calma: tudo é num vapt-vupt.

    beijos e meu carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taís querida você escreveu algo interessante (suas colocações sempre são, rs) " Ninguém tem prazer em fazer as coisas ..." ; hoje parece-me que falta isto prazer de fazer as coisas; prazer de viver; as coisas estão tão mecânicas que se alguns pudessem tenho a certeza que implantariam sistemas e se auto-robotizavam durante a maior parte de seu tempo, pois quando começam algo antes do fim já não vêem graça e começam a busca desenfreada pelo novo...
      É triste.

      Excluir
  3. Seu post me fez refletir sobre a Vida Eterna; Não podemos cultuar a Deus de qualquer jeito!

    ResponderExcluir
  4. muito bom sua postagem gosto muito de ler artigos edificantes como este Deus te abençoe

    ResponderExcluir
  5. Bella, interessantíssima postagem!!

    Achei genial vc ter postado o relato de Gêneses sobre a criação. Ela mostra claramente a paciência, a organização e a perfeição de Deus!.. Emociono-me ao pensar que tudo Ele criou em perfeição e para o nosso deleite. E nós, os humanos, que fomos criados para ser o reflexo da Sua imagem e semelhança nos perdemos no caminho. Desaprendemos a pensar coletivamente. Hoje vivemos no culto do ‘eu’. Permitimos que o individualismo, a ganância cada vez mais enraizada ditem as regras do nosso viver. Então, nos enrolamos na nossa própria teia. Não encontramos tempo para nos dedicarmos às coisas mais importantes da vida. Depois reclamamos da efemeridade nos relacionamentos, da fragilidade do amor entre pais e filhos, entre cônjuges, etc.. Tudo fica na base do meia-boca. Cada vez mais surgem novos interesses para alimentar ainda mais nosso egoísmo.

    Muito boa mesmo sua postagem, amei!

    Bjão pra vc, linda semana!

    ResponderExcluir

Este blogue é particular.
Obrigada por ter chegado até aqui.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...