domingo, 26 de setembro de 2010

A beleza da dor!





        Certa vez visitei uma exposição em Porto Alegre, que tinha como título “ Beleza da Dor”.

      Li o título e senti-me completamente instigada a ir e conhecer a tal beleza, pois passava por um momento de muita transformação, minha vida profissional estava enfrentando  uma verdadeira "Revolução Farroupilha", problemas de saúde, problemas familiares, tudo isto provocava dor intensa em meu ser, porém quanto mais intensa era a dor, eu também podia sentir que ficava mais forte e em alguns momentos até mais bonita -   as cicatrizações estavam ocorrendo num processo lento porém sólido sem chance de ruptura.
Mas sentir dor é complicado, eu não tenho medo de muita coisa não, mas “dor” há eu detesto sim ! Qualquer dor, seja física ou emocional, (Talvez seja por isto que tem sempre algum “espinho” provocando ardência em algum ponto da minha vida”, pois é necessário para meu amadurecimento..)

Bem fui até a sala visitar a exposição. A mesma era totalmente rica em fotos da realidade humana com suas facetas diversas em diversos locais e pessoas de diferenças etnias.

A dor na suas mais variadas formas; o fotógrafo conseguiu retratar a perfeição dos rostos, no seu cotidiano indo da miséria ao semblante do executivo.
Permaneci uma tarde naquela exposição apreciando com detalhe cada foto, e tentando transporta-me a cada situação , em algumas foram fácil,como a que representava uma criança correndo no meio da enchente, na pobreza de um local isolado com os olhos atentos de uma provável mãe, não havia nada, só água e uma casa quase submersa, uma pequena trilha de terra e água, água por todos os lados, água que acabou com a plantação , com os animais, com os poucos móveis existentes dentro da casa, acabou com a possibilidade de ir e vir, e para aquela criança o único brinquedo estava na água da tragédia - sob os olhos da mãe que eram amorosos, cristalinos de brilho intenso de aflição o qual a deixava sem ação pois seu olhar só alcançava a visão da água e do céu.


Alguns dos leitores podem pensar que missionária sem coração, hipócrita  como poder apreciar  uma situação destas, imagina alguém no isolamento por dias, meses, desgraça total uma criança, brincando na enchente, certamente adquirirá todas as doenças e morrerá. Quanta insensibilidade! Qual a beleza disso?
(Eu sou missionária, Madre Tereza também foi, e para os desavisados ela percebeu mais que beleza na ímundicie dos lixões ela percebeu a mão de DEUS dando meio de sobrevivência a uma comunidade).
- A beleza está  que eu vivi isto! Eu fui uma destas crianças que não são ribeirinhas, porém viveu a sua primeira infância em terras férteis, mas que por questões transformadoras das natureza ocorriam sempre no mínimo duas vezes a cada ano esta catástrofe. Para os desconhecidos que felizmente só acompanham alguma tragédia deste modelo pela televisão, eu vós aviso defesa civil, helicópteros e coisa de hoje, mobilizações, neste lugar... ele nem se quer consta no mapa.

As crianças que vivem e sobrevivem a pobreza tem seus organismos , muito mais fortes, porque crescer brincando no barro com os pés na terra, correndo solta no campo, pastoreando animais, ajudando nas tarefas diárias, faz com que adquiram muito mais que verminose, sua imunidade é bastante alta;  também e meio a isto tudo um dos maiores desafios era ir para a escola pois na época de cheia antes da água tomar conta da sala de aula e expulsar a professora ainda ia até lá, muitas vezes carregada nos ombros de minha mãe, pois se eu andasse era pequena demais e assim me afogaria.

Dentre tantas fotos, tantas faces, variando entre leitos de morte, esmolas, drogas, pobreza, eu lembro que num primeiro momento o que mais me chamou atenção e fez com que eu sentisse “DOR” sem nem uma beleza foi uma foto que relatava o cotidiano de uma metrópole ( para mim metrópoles são “Selvas de Pedras”, porém eu sobrevivi! Eu venci a metropóle! Glória a DEUS que me guardou diante das tragédia que vivi nela, afinal 3 livramentos direto da morte, já é prêmio extra de vida,rs,rs,rs), nela havia muitas pessoas nas ruas, avenidas, carros indo e vindo, movimento constante, mas nisto tudo havia um alguém sentado no meio fio de uma calçada, embora humano não havia como decifrar se era homem ou mulher mas a expressão de seu rosto era perdida no tempo como se anestesiada, e a dor maior que provocava um sentimento de indignação era perceber o ir e vir frenético da população que não percebiam a presença de um ser humano vivendo num estado horrendo precário de dor,para aquelas pessoas provavelmente já era como ter uma estátua naquele lugar.


Outra foto também prendeu minha atenção sem encontrar beleza alguma , num primeiro instante, foi fotografada em uma sala de executivos, uma sala ampla, belas janelas, mobília moderna, tudo no lugar , havia homens e mulheres todos elegantemente vestidos e concentrados nas suas funções;diante de um computador; examinando papéis; falando ao telefone; porém uma pessoa me chamou atenção particular, um executivo elegantemente vestido como os outros em uma mesa ampla e impecavelmente organizada, mas seu rosto era contraído, parecia petrificado. Fiquei observando e tentando transportar-me para aquele local, afinal a primeira vista era o local de trabalho dos sonhos de qualquer profissional. Porque aquele semblante tão fechado? Tão sóbrio? Tão dolorido?
- Minhas conclusões foram tantas ; porém saí acreditando que aquele homem estava ali na labuta diária, resolvendo as questões pertinentes aquele cotidiano, mas era só isto - talvez seus amigos fossem pelo que representava, pelo que possuía, não pelo que era, e se tivesse esposa talvez fosse ignorado como homem, como provedor, fosse visto apenas como um caixa eletrônico o motivo de orgulho do padrão familiar. Mas suas necessidades básicas de afeto fossem ignoradas, e talvez por isto sentia-se amargurado e com semblante esgotado o que certamente o levaria a um colapso físico e mental.
Mas e a beleza? onde esta a tal beleza de uma exposição que só retrata a dor?
Para mim a beleza esteve presente quando percebi que apesar do meu sofrimento eu continuava humana, eu estava viva e com senso aguçado de percepção das situações adversas naturais e das situações que enfrentamos de fuga .


Não posso crer que cada vez que alguém passa cotidianamente pela calçada e vê um outro semelhante ali, com olhar perdido não tenha dó, piedade; acredito sim na fuga das pessoas cada uma tem seu motivo, mas o maior é a falta do conhecimento do amor de DEUS sobre todos os seus filhos;  bem como não posso acreditar que uma pessoa que necessite trabalhar com atividades de extrema complexidade, indo muitas vezes ao esgotamento físico e mental, possa chegar em casa lugar onde deve ser local de aconchego e descanso , passar despercebido, ser recebido com um olá tudo bem... segue para o banho e a “família” jogada cada um no seu canto no seu mundo com sua tv.

Onde está o diálogo? Onde esta o afeto da esposa? Como uma pessoa vai conseguir paz, quem vai dizer a ela que DEUS esta presente que basta busca-lo, pois nestas horas, ninguém lembra-se dele, na verdade muitos vão para a “umbanda” ou outras tantas "seitas  que prometem adoçamento, contato com duendes, fadas, mundo encantado, demanda contra inimigos... tanta besteira, tanta ignorância"  procurando aumentar o padrão familiar, buscar lucros de qualquer forma, e quando percebem já é tarde de mais pois “A galinha dos ovos de ouro”, já mergulhou no álcool , promiscuidade... infelicidade e tristeza infinita, permitida pelo livre arbitrio que temos das escolhas; mas mesmo assim DEUS está lá e quando alguém o buscar em espírito e em verdade o achará certamente e a história começa mudar, embora na maioria das vezes tudo precise ser destruído, tudo seja quebrado, muitas vezes não vale a pena restaurar situações ; relações, o que vale para DEUS é restaurar e salvar mais um coração, mais uma alma, e livrar mais um filho das garras do ínimigo tal como um pai zeloso faz com seus filhos.
Para mim hoje eu entendo que cada dor tem sua beleza ! A grande beleza esta na transformação, não só poética mas real do pranto em dança.

Desde sempre soube, a muito aprendi, e hoje entendo plenamente “Que tudo posso N `aquele que me fortalece” .


A bíblia a qual estou “devorando” um pouco a cada dia ( presente do meu marido... há muito eu queria), é uma edição especial para mulheres da Sociedade Bíblica do Brasil, na sua página 1873 esta escrito Assim:

Dor Física –Transformando Aflição em Alegria


Bem queridos leitores, blogueiros, amigos e curiosos, tenham a certeza de que não existe o impossível par a DEUS, que DEUS não é DEUS de barganha, " acendo um maço de vela e tu me concede a graça, faço um voto de R$ 1000,00 e é graça na certa". Mentira! Você pode fazer qualquer promessa, voto , oferta, mas DEUS só vai te conceder o que for para tua felicidade, para tua alegria, pois jamais vai conceder uma falsa vitória. Na se engane querido (a)  quem promete vitórias sem lutas, alegrias sem prantos, riqueza sem esforço é Satanás; e como todos os cristãos que tem conhecimento bíblico sabem, Satanás tem poder , suas obras seus milagres poderão ser tão grandiosos quanto os concedidos por DEUS; porém são falsos, pois sua natureza é a mentira, a ilusão para destruir o homem e o distancia-lo do criador.
Cuidado! Alerta vermelho!
A dor não é o fim! Lembre-se da dor da crucificação... ela foi o grande marco da ressurreição; foi preciso o filho de DEUS passar pelas dores do mundo (poderia ter se furtado, Ele era o rei); para que o mundo entendesse a beleza da vida, a beleza das lutas, a diferença entre ser guerreiros e vencedores.

Muitos dentre nós são guerreiros, permanecem na guerrilha diária sobre os mais diversos temas,mas quando abrem seu coração e se entregam diante de DEUS, ele os direciona na batalha e num repente a guerra termina e daí por diante tornam-se “VENCEDORES”
A Ele toda honra, toda Glória , todo poder, todo louvor e adoração, ao Meu Jesus que presenteou meu coração com uma flor missionária, desde muito pequena, a Ele que permitiu que eu experimentasse as muitas facetas da dor, passando pela pobreza, dor do desprezo, dor da falta de conhecimento básico, dor da morte, dor por ver toda uma carreira profissional sendo roubada, dor por descobrir a falsidade de "amigos", dor das seqüelas físicas e mentais,... A este Jesus muito obrigado, obrigado meu Senhor por transforma-me no que sou; Eu sou uma Vencedora! Vencedora pela graça de Jesus!
Aproveitem a vida vivam com intensidade cada momento de alegria consagrado ao Senhor - mas não deixe de viver as facetas da dor entre elas o luto, pois nós temos o direito de sorrir e de chorar também.
Aproveitem todas as fases da vida; ensinem vossos filhos desde pequeninos que existem coisas mais importantes do que babá eletrônica, roupas de grifes,  e cirurgias plásticas, mostrem na prática dando exemplos de corpo sadio, alimentação balanceada, ensianando o caminho que devem seguir, pois quando adultos arcando com as consequências de suas escolhas e colhendo seus frutos, o caminho ensinado permanecerá guardando em algum lugar de sua mente;  deixe-os perceber que cometer deslizes na mesa e na vida fazem parte do crescimento; que aniversário é benção e que deve ser sempre comemorado como se fosse o primeiro, pois toda idade tem a sua beleza única.
Tudo que temos, tudo que vivemos na presença do nosso DEUS criador de todas as coisas é diferente.
Quando um homem ou uma mulher que vive como uma onda "vai sem direção ao sabor dos ventos", enfrenta dificuldades;  se maldiz, amaldiçoa a familia aos amigos, DEUS... não -  DEUS não; porque não faz diferença a sua presença.
Quando um Cristão enfrenta dificuldades de qualquer natureza como qualquer mortal, mas este cristão tem na prática cotidiana sua vida entregue ao SENHOR, é diferente pois ora, clama, desanima, jejua, se fortalece tudo junto embora pareça inexplicável, porque tem a certeza em seu coração que quando as adversidades chegam que nos carrega no colo e peleja por nós e o DEUS Vivo!







4 comentários:

  1. São lindas as suas palavras, sua forma de colocar os problemas da vida nas mãos de Deus mostra o quanto vc esta cheia do amor D'Ele, que sua vida seja sempre iluminada para que vc continue sempre iluminando a nossa vida com suas sábias palavras.
    A paz do Senhor esteja sempre contigo. Bjão
    Jorgea Gonçalves
    São João del-Rei - Minas Gerais

    ResponderExcluir
  2. obrigada Jorgea! Que Deus continue abençoando nossa união, que sua prima e sua filhota estejam neste momento embaladas nos braços do Pai.

    Bjos querida e estamos orando por toda sua familia.

    ResponderExcluir
  3. Nossa que postagem enorme...rs...mas de grande reflexão. Eu entendo muito bem tudo isso e até vou escrever um dia sobre esse mesmo tema mas sobre minha experiência. Foi complicado o que vc passou mas como vc escreveu, sobrevivemos...uffa! Estou na metade do curso do MMI e Deus tem feito milagre no meu casamento, tratando de cada um individualmente. Estava escrevendo passo a passo minha luta e trajetória mas sei que já temos a vitória na mão...é uma benção de Deus esse curso...bjs.

    ResponderExcluir
  4. li tudo...achei muito lindo...vc realmente tem o dom de falar sobre as coisas do alto.....que Jesus te abençoe sempre...bjus

    ResponderExcluir

Este blogue é particular.
Obrigada por ter chegado até aqui.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...